Maker Faire: Maior exibição e palestras do mundo

“Maker Faire, maior exibição e palestras do mundo.” Slogan pretensioso…mas como eu ainda não fui para nada maior, estou com eles, esse evento é F#%A!

Contextualizando – Maker Faire é um evento onde os inventores, makers, artistas, entusiastas e grandes empresas de tecnologia mostram seus novos “brinquedinhos” e interagem com o público, é um grande momento mão na massa para exibir doideiras criativas e pensar nas novas possibilidades incentivando a construção de um futuro para pessoas que fazem coisas por conta própria.

Hoje em dia, esse evento já acontece em várias cidades do mundo, mas foi na Marker Faire Bay Area onde esse evento começou há 10 anos atrás e continua sendo o principal, reunindo centenas de milhares de visitantes em um final de semana.

Não muito depois que cheguei em São Francisco, abriram as vagas para ser um Traveler do Maker Faire, uma espécie de voluntario que ajuda o evento continuar acontecendo.

A seleção só tem um requisito: mostrar que você tem interesse em contribuir com a cultura Maker e comprir todas as etapas de estudo, sem limitacões de idade, background ou gênero. É por propósito? então passei.

Entre os dias de trabalhos, ganhei de recompensa uma entrada como convidado no sábado, dediquei o dia para conhecer o que tava rolando, e era muita coisa. Foram mais de 900 exibições individuais espalhadas em 10 zonas, 4 áreas de atrações principais, e mais de 300 apresentações e shows.

Não vi tudo mas vi muito: primeiro robô de batalha gigante do mundo, exoesqueleto feito por crianças, lutas de drones, corridas malucas, carros alegóricos, canhões de vento, R2-D2s, teclados que soltam fogo, palco  musical movido a energia gerada por bicicletas, esculturas pirotécnicas, exibição de coca-zero e mentos, Música de ficção feita através do som de estouro de bolas, robôs feito em impressora 3D, folhas de metal gigante que eu ajudei a fazer. Participei de palestras, workshops, ouvi música boa e por aí vai…

Com o chapéu de voluntário, consegui pegar missões interessantes nos dois dias que participei. No primeiro, uma sexta, trabalhei como assistente no espaço Do It Yourself (DIY), onde aconteciam as palestras dos escritores “mão na massa” da maior publicadora da cultura Maker do mundo: Maker Mídia. Fiz de tudo um pouco: ajudei a organizar, vender, e repor livros, Dar assistência aos palestrantes e a produção no que foi necessário.

No segundo e ultimo dia, a produção- Devo ter feito um bom trabalho na véspera – me colocaram na linha de frente em uma das entradas para informar as pessoas sobre as entradas, aquisição de tickets, transportes e estacionamento. O megafone ficou comigo e o meu sotaque que dizem ser francês- oui ou uai.

Talvez com um tantinho de exagero disseram que fiz um excelente trabalho na Maker Faire. O fato é que fiquei muito feliz pela experiência unica e por ter me convencido que o desenvolvimento desse espírito maker no Brasil pode contribuir muito para  resolver grande numero de problemas.